Um indivíduo que se recusa a viver um só destino, e segue com as intemperanças que seu ofício carece, mas nunca desiste.

Entre nós e a eternidade, optamos por nós. Tanto mistério com uma herança arcaica de improviso… não há mais ninguém em fogueiras, agora há o teatro.

Há uma herança no teatro que é de ator pra ator. Quando um vê o outro, que viu outro e por aí vão se apropriando, de espetáculo pra espetáculo. Coisas que não estão escritas e que faz a formação no ato.

A vocação no ator está na sensibilidade e na vaidade. Há a vaidade. E essa vocação está fincada na descoberta de sentimentos, maa nem todos são nobres, longe disso. Não acredito na pureza. Vocação é curiosidade, é dedicação, é apetite, e não resulta se não na pratica.

Escolha persistente, lucidez e clareza.

Igor Florim