Ela está indo embora… E nunca duvidou do destino. O acaso e eventos aleatórios nunca fizeram o menor sentido. E eis que ele precisou de mais poetas. A individualidade não existiu… nunca mais.

Gritaram de dentro que ou o destino só ocorre conforme à matriz quando estamos em equilíbrio, ou seria só nesse dia em que o destino deixaria de existir. Não houve dúvida alguma.

Mas acordei hoje cedo, igual os últimos dias e só respirei. Ruminando coisas para a vida. Tipo flores em um caminho. Era calmo só respirar não fazer nada. A famosa e necessária hora de pensar. Hora da estrela… jogando à mercê uma sorte aleatória.

Criamos na vida algumas habilidades que custamos muito para conseguir nos afastar delas e só então contempla-las. Saber coletar o prazer de um e outro momento… O que é infinito num mar vivo e em frente? O que se move… e que é levado e o que nunca se levou à sério.

Sem pontos finais, apenas processos. Vivos e carregadores… constantes e fortes. A vida resolve ajudar às vezes. Se levantando rapidamente.

(Talvez pode não ser o que você deseja…)

Muito além.

Igor Florim