Eu tento tido muitas ideias. Coisas andam acontecendo do lado de dentro, e talvez por isso até no lado de fora notaram diferença. Cor onde não havia… possibilidade no silêncio e sigo meus dias ao me programar pela manhã. Tem sido satisfatório cumprir exatamente o que eu me propus. Exatamente. É importante também saber qual o limite, qual o esgotamento de tempo, qual a saturação de deveres e estabelecer também, tempo livre. Ou, deixar de estabelecer coisa alguma (incluindo tempo livre) por um ou uns dias inteiros. Tem feito a diferença.

Talvez eu tenha procurado em mim, com esse lance de olhar mais pra dentro, aquilo que eu tinha medo de interagir no meu íntimo. Medo de falar, medo de pensar. E a ansiedade pra viver faria qualquer sonho se manter distante e idealizado. Firmeza na ação do tempo e sobretudo: coragem.

Hoje foi uma terça-feira. Choveu, me atrasei mas cumpri o meu roteiro. Me sinto feliz por isso: cumprir o meu dia. É o que eu teria feito se me dessem só mais um dia pra viver? Só mais um dia pra ser assim. Do meu jeitinho.

Houve no dia de hoje, a vontade de falar. De transgredir o objetivo dos lugares e se adequar quando o que faz poeira não para de bagunçar. Relembrar. Resistir.

Viado. Lírica e poética expressão sem odor. O esquecimento da morte, a galhada profana. Que sutileza eu escreve-la hoje aqui: somos todos viados. Grandes viadões!!! E se te incomoda, trate te melhorar teu ego. Dj’s, janelas, danço: minha loucura tem trilha e minha janela é aberta.

O embaçar dos caminhos. Vim com uma frase parecida com essa rangendo os meus dentes sempre antes de beber água. Trate de chamar pelo meu nome quando na porta do seu apartamento, qualquer delivery com máquina de cartão chegar. Desaprendendo a ser o mesmo. Já não sigo igual.

Não sei o que irá sobrar e só fui até onde eu buscava por mim.

Não houve coragem alguma. A música terminou.

Igor Florim