A tarde parecia distante

Sem ventos, sem novos empurrões, sem força que ventava levando tudo

A balbúrdia era ser isso tudo

Com alguns tons de cinza

Começando novas apostas mas perdendo o meu tempo

E errando o tom

Há dias vem desafinando, não sabem onde vai parar

Talvez numa dessas, desafine de vez, caído em queda

E ainda assim, impecável, sublime, afinadíssimo

Solavancos que bate até desmaiar pessoas de antigos rituais

Todos esquecidos, afinal vem desafinando

Há dias, mas vem assim

E ninguém nota coisa alguma

Não sei de onde você vem… mas ainda existem os lugares não cantantes

E existem pessoas que não tem dessas coisas

E deixam passar, pra longe, tudo aquilo que era pra voar mas acabou paralisado

Como um acúmulo de ondas…

E se sabe que quando muita força se reúne é pra levar a praia toda de uma só vez

Mas tem quem permanece junto

E vai pra muito longe

E tem quem se perde por não lembrar de nada do que já passou

Se esquecendo

E ainda assim ninguém por perto

Limpeza, muita música, mais gritos

(Tudo reunido em um vazio ensurdecedor).

Certo dia o dia não era mais como antes, cores estranhas, pessoas loucas, todas perto

Mas ninguém por perto

Tudo bem branco

Alguns infinitos

Silêncio

Se viu de tanto olhar

Foi parando

E viu passarem por ele com seus próprios desinteresses

E mesmo assim, o universo mais lindo do mundo deve ser uma pessoa

Especificamente

Mas ninguém perguntou por coisa alguma

Mapas enrolados acumulando poeira e desgastando tinta própria

E continuam existindo mesmo assim

Coisas que são do jeito que são

E que ninguém consegue mudar

É por isso que tudo é incrível do jeito que já é

Gritos aos prantos mas nenhuma lagrima no rosto

Só escoando as pequenas grandes vontades do mundo

Todas paralisadas

Por ali… (Foi quando…)

Viu num bilhete: “O que há de ser, tem tanta força que consegue ser tudo o que quiser.”

E virar uma surpresa

E se algo te surpreende é um sinal de que você o subestima

Quando quase nada significa alguma coisa viva de verdade

Mas era ele, em constante movimento

Em

Constante

Movimento

Dentro de si

Era uma fortaleza

Ele

Tanta coisa

Quase nada

A não coisa

Mas está tudo bem

Tudo bem melhor do que ontem

E assim é aquele que vive para sempre.

Igor Florim