Quando o inverno chegar e o frio te sugerir agarrar travesseiros

Perceba que não te amo

Caso contrário, eu teria ido com você pra longe

Já não lembro mais como é estar contigo

E se choras, é porque não quis ficar aqui

Mas te livro

Sempre quis te ver voando

Tu disse que suas asas fiz em um desenho

Esculpindo cada detalhe

Perceba que tudo acaba

Talvez um dia a vida apareça gritando como uma criança que só pensa em diversão

Este foi meu erro

Sempre me divertir tão pouco

Por isso vim pra cá

O bairro mudou. Tua mãe sente muito por você ter ido

Ela me diz que estranhamente a vizinhança e as casas ao redor resolveram migrar, justo após a sua também saída

As coisas por aqui continuam do jeito que você deixou

Paramos de viver

Esperamos que você esteja se divertindo

Este foi o nosso erro

Nunca nos divertir

O Rio de Janeiro continua quente

Senti tanta saudade desse lugar

Ainda bem que não vieste comigo, preciso pensar

Usarei todos os próximos dias e horas pensando

Eu amo a praia vermelha

Quando o sol começa a nascer

Nadadores em grupo bem longe, batendo seus braços na água

Espirram líquidos do oceano

Em completo amor

Sentei na areia e tudo começou a esquentar bem cedo

Mas até esquentar de verdade…

Era o geladinho mais sagaz que já provei

Parece que nunca pisaram nessa areia

O mar faz essas coisas

Lava tudinho

Fui bem no meio das águas

A minha prancha tem desenhos

Asas

Como as de um anjo

Eu nunca estive tão livre quanto agora

Dentro de mim o céu raia os dias de sol bem quente

E meu peito é essa enchente toda

Que virou mar

Mas agora que chegou, quero nele ir além

Transpassar

Gratidões

O Rio de Janeiro continua existindo

Hoje à noite vou pra Saquarema

É lá que eu quero morar

Pra todas as tardes andar por Itaúna

E ver quem mais anda por lá

Você percebe?

Percebe que não te amo?

Se não, eu estaria aqui pensando na madrugada em que te conheci

Coincidentemente em Saquarema

A gente andava por essas ruas

Jantava na feirinha da capela

E fumava um cigarro olhando pro mar

Pela madrugada toda

1922

A vida era outra coisa

Parece que você ainda está aqui

Dentro

No meu peito que parece me incomodar o tempo todo

Essa dor é você

Amargando tudo que eu sinto

Faz tempo que não te vejo

Mas perceba

Note

Que não te amo.

Igor Florim