Confesso que relutei em sair de casa naquele início de noite

Fiquei observando o sol indo embora até o crepúsculo acabar

Nada contra ti mas eu estou cansado dessas aventuras

Talvez não mais acredito nisso – encontrar

Foi o modo como aprendi a viver

Foi o jeito que encontrei para lidar

Estar sozinho

Não me queixo. Vocês sabem o quanto eu amo a minha presença

Porém eu queria conversar de verdade com alguém de vez em quando

Contar o que eu nunca falo ou escrevo

Sentir outro toque que não seja o meu

Esse tipo de coisa

Mas realmente não sei se eu irei sair de casa hoje. Talvez te encontrar seja um lindo modo de recomeçar porém já tentei isso muitas outras vezes então não sei se quero arriscar novamente por agora

Pode ser bom ficar aqui outra vez sozinho

Lendo meus livros

Rindo na internet

Jantando a minha própria comida

Mais do mesmo

Eternamente eu

Porém considero ir te conhecer pessoalmente nessa noite

Dar uma outra oportunidade para mim, acima de tudo

Tu me surpreendeu muito

Eu fiquei tantos anos escrevendo contos poéticos para quem nunca quis saber dos meus versos que quando te conheci essa era a última coisa que eu pensei em te mostrar

Eu não divulgo meus escritos para amigos que não querem ler

E não me arrependo. No final das contas quem quer ler está lendo

Afinal todos sabem que eu tenho um blog. Então acessa quem quer

E tu encontrou por conta própria

Até dei uma risada quando me mandou uma mensagem falando sobre isso

E quando terminou de ler o último conto das centenas de contos publicados, tu veio me contar da leitura

Não cabe a mim repetir suas palavras mas há muito tempo não me tocavam dessa maneira

O poeta agora é tu

E juro que não me importo de passar para ti um título que eu nunca usei

Tu

O verdadeiro poeta dos meus olhos

Então me troquei correndo depois de pensar essas coisas no banho

Conclusões sinceras

Eu amo viver

Tudo é um êxtase em mim

Coloquei uma roupa que me deixa bem bonito

E sorrindo, fui até o nosso local em comum

Foi um encontro

Eu prefiro ter que esperar alguém do que deixar alguém me esperando

Porém você foi muito mais rápido do que eu e já estava lá

Sentado

Me procurando

Olhando distante mas para o rumo contrário

Cheguei atrás de ti

Toquei no seu ombro

E você se levantou sorrindo, me abraçou e pediu que eu me sentasse para ler algo para mim

Fiquei rindo tipo um adolescente

Ninguém nunca fez esse tipo de coisa antes

Logo no primeiro encontro querer ler algo pra mim. Eu fiquei muito curioso

Tu é um jogo

E me seduz em todos os seus movimentos

E tu sem vergonha alguma, leu.

Talvez um dia eu conte essas palavras por aqui

Ou já venho fazendo esse tipo de coisa há muito tempo

Analisando a vida que me cerca

Caçando novos versos na vida que eu vivo

A intensidade em mim é uma constância

Mas sobrevivo. E podem tentar me matar mais mil vezes

Me preparei para coisas bem maiores

Do tipo: como me expressar diante de ti? Eu queria apenas rir, todo bobo

Mas já que me surpreendeu com os versos, irei além

Este sou eu

Debrucei na mesa e te dei um beijo dos que eu queria dar há muito tempo

Você não esperava por isso

Porém amou a surpresa e você sim, ficou todo bobo na minha frente

Eu consegui vencer no seu jogo

Só por entender dos sinais

É isso que estudo constantemente, não o beijo, mas a percepção das coisas ao meu redor, o domínio dos sentimentos, tranquilidade, acertividade

Coisa de louco

Mas que bom que eu saí de casa essa noite. Tu foi uma linda surpresa e seus versos… ah os seus versos…

Igor Florim