Eu não vou botar fogo no mundo, fiquem bem tranquilos sobre isso

Mas os meus amigos são os melhores

Ficamos uns dez dias naquela casa. E na primeira noite deram o álcool na minha mão e falaram – é tu quem acende

Ascendi

Aquela fogueira alta iluminando nossa festa

Aquele quintal que é a areia da praia

O barulho das ondas

O ritmo lunar

Eram os primeiros momentos de relaxamento depois de uma longa viagem e bastante trabalho ao chegar naquela casa. Limpamos tudo. Botamos os demônios pra correr – já que estamos acostumados com esses bichos, sabemos lidar

Porém eu me conheço muito bem

E sei que esses amigos também se conhecem

Então do que vamos temer? Demônios? Ladrões? Não, obrigado. Isso deixo para suas crenças limitantes refletirem após essa leitura. Estávamos livres, seguros, equilibrados, donos de si e das energias deste mundo. Quando se sabe o que se é, não há mais nada para temer

Tu se conecta com algo tão maior

Sem questionar coisa alguma. Tu se conhece, já fez isso antes

Portanto, que essa noite caia em cima de nós

Que os céus desabem flores em chamas para abastecer essa fogueira

E que a guerra nunca acabe

Para todo dia lutarmos mais um pouco

Eu queria te dizer que passamos a madrugada inteira naquele luau. Mas infelizmente para nós e comum para a mãe terra – o mar subiu. Foi uma resposta do planeta. Subiu, subiu e quando notamos apagou a fogueira e nos fez ir festejar lá no telhado. Afinal a lua é a protagonista dessa ressaca do oceano atlântico

Quanta energia ela tem

Agora vamos conversar entre nós. Relembrar boas histórias, jantar comidas saborosas que não envolvem a morte de nenhum animal e rir desse mundo em que nos metemos. Afinal nós somos ele, o mundo

Ninguém está fora disso

Detesto quem fala “o ser humano é tal coisa… é aquilo… é isso”…

Como se algum de nós não fossemos humanos

E conseguíssemos olhar de fora para dentro dos humanos

Estamos coladinhos aqui neste solo

Ninguém voa nessa terra

E o olhar é de dentro pra fora, apenas

Quer humanidade maior do que esta?

Separar

Ególatras

Mas se tu quer saber, o Brasil já é outra coisa nos tempos atuais

Nos libertamos de várias mentiras

Acabamos com essa história de que demônio é o bicho que ninguém vê

Fomos abaixando o véu da mentira de um por um desses políticos corruptos

Mostramos suas verdadeiras faces

Eles eram os demônios

Assim como tantas outras coisas que tu cria na sua mente

Tu que escolhe

E se tu escolher parar de acreditar nessas crenças limitantes?

Se vigiar mais? Se conhecer mais?

Entende como nada disso vai te atingir?

E agora o Brasil é outro

Os políticos são jovens sagazes

Estão mudando o mundo

O Brasil é tão grande que consegue ajudar quase o planeta inteiro

Os gigantes do norte do globo estão chocados com esse comportamento

E nós apenas fazendo o que ninguém antes fez – o que está ao nosso alcance

Sem pensar no próprio bolso, no próprio PIB nacional, esse tipo de coisa

O produto interno bruto da nação brasileira, é acabar com a fome do mundo

É libertar todos os seres

Demoramos mas fizemos alguma coisa

E agora vá cuidar da tua vida, rapaz. Pare de ditar regras para o mundo. Se você acredita em um Deus ou em um Demônio, leve esses ensinamentos para dentro da sua casa e não pra nação inteira

O nome disso é respeito. Eu nem deveria falar sobre

É tão irrelevante que o Brasil em pouco tempo conseguiu superar isso. Agora cada um cuida sua própria vida, ninguém diz o que é certo ou errado, ninguém tá de olho na grama do vizinho

Cada um já tem serviço demais para progredir suas próprias vidas

A lua veio nos relembrar dessas coisas

Os tempos já são outros

Essa casa é nossa e faz dois anos que está aberta para novos visitantes

Todos sempre respeitaram muito bem o lugar

Afinal, por que ter uma casa fechada por tanto tempo se há quem precise passar uns dias em algum lugar?

Assim como na quarentena na época do COVID-19, todos os hotéis estavam fechados e nenhum deles ofereceu abrigo aos moradores de rua

Se tu refletir sobre isso, já valeu a pena escrever

Joguei o bilhete dentro de uma garrafa vazia e arremessei no oceano em ressaca. O mar se agitou, esbravejou

Instantes depois era uma calmaria só – começa a baixar

E a garrafa atravessando o oceano

Indo mudar o mundo

Esses Brasileiros conseguirão ajudar o globo inteiro

Somos essa revolução

Não importa que ninguém faz

Fomos lá e fizemos

Nunca se aquiete.

Igor Florim