O mundo resolveu florescer

Nada mais impediam as plantas de ocuparem o solo

O planeta é um grande vegetal

E me soltaram aqui

Andando no gramado

Subindo nas árvores

Descobrindo qual animal dominou estas redondezas

Este mundo é vivo

A claridade do sol me aqueceu nessa longa jornada

Iluminou as matas

Esquentou a alma

Mas a pergunta que não quer calar – e quando o sol se for?

Talvez eu não seja mais o mesmo

De repente enxergarei no breu

Ou me escondo na copa das árvores

Até que uma serpente me encontre primeiro

Ou um tigre suba como um gato ao meu encontro

Porém se eu quiser volto a ser felino

Me torno o rei da selva

Mas até que o sol se vá, ninguém fala desse tipo de coisa

Apenas se esquentam

Aqui não há vizinhos

É uma selva pra cada

E se você sempre andar em frente um dia voltará ao mesmo lugar

É uma esfera

E o mundo é essa selva toda

Esta é a minha selva

Tem coisa que nunca acaba

O que farei disso tudo?

Dizem que o céu conversa com as árvores durante a noite

Como uma grande dança cósmica

Ou um belo ensaio celeste

Mas tenho medo de quando a noite chegar

Eu nunca lidei com nada disso

Então os raios começam a partir

O frio aparece de cima pra baixo

Congelando o chão

Petrificando as águas, as plantas, a cena

E as frias estrelas caem nesse solo

Atentas

Jovens

E astrais

Elas circulam essas copas, absorvem os orvalhos e iluminam este céu

Rasgando o espaço

Ocupando a noite

Eu nunca vi esse tipo de coisa

Olhei para o meu corpo e eu era um felino

Um homem felídeo

Já conheço esse corpo

Lembrei

Corri

A selva é um labirinto noturno

Sucumbido da luz das estrelas

Menos gelado que no campo aberto

Vou ocupar essas terras

Vigiar o corpo que minha alma tem

E dominar este planeta

Eu já não sei onde vou parar com isso tudo. De repente nunca pararei. Estou correndo agora, vigiando futuras vítimas e conhecendo o resto dos vegetais

Lembre-se

Este mundo é deles

Dos vegetais

Será uma longa guerra

E desse tipo de coisa eu entendo

Guerrear

Me deixaram aqui, ao léu

Há câmeras me vigiando

Sou um experimento

Se manifestando nas minhas origens animais

Instinto puro

É uma grande prova mas só entenderei da espiação quando morrer

Até lá…

Tudo por aqui será meu

É o animal que eu sou.

Igor Florim