Os tempos antigos são os mais misteriosos

E nós aqui julgando ter tudo nos livros da escola

Tolos iniciantes

Mas houve um tempo em que em uma das matas do planeta, foram introduzidos famílias humanas de outras espécies para viver livremente e resgatar durante a reencarnação seus conhecimentos e cultura para estabelecer suas aldeias

Em uma delas, já estavam na terceira geração

Eram humanos felinos

Cerca de vinte

E um pouco distante uma outra colônia também de humanos felinos

Mas estes com uma leve especificidade em seu DNA

Um dia entenderemos dessas coisas

Mas dado sequência ao projeto em questão, as aldeias cresceram mais ainda e todos tiveram muitos filhos. Cerca de dez anos depois, um garoto jovem seguia para ocupar grandes tarefas do grupo, agora que relembrou de muita coisa de si

E ele sempre atento

Sabia da aldeia vizinha, mesmo que ninguém nunca estivesse ido até lá

Desconfiava que não estavam só

Sabia

Um planeta tropical

Florestas

Céu azul

Lua

Deve haver muito mais seres por aqui

E todos os outros preocupados com outras coisas

Se escondendo o tempo todo

Quanto mais lembravam das outras vidas em outros planetas, mais temiam a vida neste

Temerosos

Deixei eles pensando nos seus próprios carmas e segui ao deslocamento

Intuitivo

Forte

Seguro

Eu era este garoto

Entrei nas matas

Cortei a selva

E na primeira noite, calculando a metade do caminho, encontro um outro humano como eu

Tigre

Lento

Cauteloso

Olho no olho

Avançamos

Estou de frente para ti, fale

Não entendeu palavra alguma

Disse outras coisas que quem não entendeu fui eu

Respiramos fundo

Olhos cortantes

Imóveis começamos a nos observar

Ele parecia tanto comigo

A mesma altura

Sereno

Ombros largos iguais aos meus

Calmo

E paramos de franzir a testa um pro outro

Era o final daquela ofensa

Ele sabia escrever e tentou se comunicar por um papel

Mas a minha cultura tem uma espécie de desenho como vocabulário

Ficamos na mesma

Silenciados

Exatamente no meio do caminho

A madrugada caminhava para o ápice e precisávamos de algum lugar mais seguro para observar a sociedade desse pedaço da floresta

Subimos em uma árvore

Ele lá e eu cá

Meia hora depois eu cantei uma música

Ele conhecia

É uma música muito antiga e que com certeza não é desse mundo

Deve ser por isso que nós conhecemos a mesma canção

Porém a música não possui palavras

Apenas sons

Notas

Ritmos

E não paramos de cantar

Algumas aves detestaram o barulho e vieram observar o que dois humanos aprontam nesta hora da noite

Interrompendo a paz daquele lugar

Ledo engano

Nós seduzimos a mata toda e os pássaros entraram para o coro

Vibramos alto

Conquistamos a mata

É onde eu nasci

O sol nasceu antes da hora marcada

Todo mundo vivo pra cantar

A mata inteira está diferente

Seguros

Sem medos

Sem desconfianças

Queriam saber o que aconteceu com esse mundo

Os rivais seguem cantando

Cumpriram a sua missão

Não sucumbiram ao seu carma

A espiação arregalou os olhos

Como é possível uma coisa dessas? Mas aqui não, leão!

Iriam começar a nos atrapalhar depois disso

Mas não ligamos para falsos profetas

E juntos decidimos não voltar para casa

Vamos seguir para um inédito caminho

Tivemos um sonho aqui na árvore

Outros das estrelas cairão na próxima noite

Iniciaremos um novo reino

É lindo viver

Vença no jogo

Pare de errar todo dia a mesma coisa

Saia de casa

Peça ajuda

Lidere um país.

Igor Florim