Os últimos trabalhos que antecedem ao final de semana são sempre os melhores

Parece que a minha energia é toda para isso

Completamente envolvido com a profissão

E por dentro o meu peito amarrando a saudade de ti

Quando eu terminar o meu serviço, vou tomar um banho e ir acelerando pra te ver

Qualquer outro destino será na sequência pois agora somos só nós dois

Decidindo nossas vidas

Estacionei na sua garagem e você veio me beijando

Ah que saudade de ti

Não vamos falar de trabalho, por favor

Faz tempo que eu não te vejo

Entre no meu carro

Vamos fugir

E aquele seu sorriso que me diz exatamente para dar vazão à fuga

Começamos rindo de tudo, escutando uma boa música, abaixando o vidro para que a vida soprasse em nossos rostos

E nós dois lá, acelerando

Entrei numa competição de corrida, segure-se, meu amor

É contigo que eu vou para o novo mundo

Acelerei como se não houvesse amanhã

A gente ria de tudo

Como é bom estar contigo, meu amor

Entramos em um mercado 24h, compramos algumas coisas para comer e beber e sem exitar traçamos rota ao pico da cidade

O lugar mais alto

Talvez a gente tire um cochilo mais tarde, antes de fugirmos de verdade

Mas até lá, que saudades do meu amor

Estacionei logo na entrada e fomos a pé

A lua cheia iluminando tudo

Seus olhos tentando decifrar o que há de diferente em mim

E sabe, eu gostaria de paralisar um pouco o tempo nessa noite

Pois haverá um futuro, meu amor, onde não conversaremos mais

Então numa noite como essa, eu estarei perdido por aí, ainda em fuga

Mas sem o meu copiloto do meu lado

E não quero que exites, meu amor, pois quando quiser partir apenas parta

Eu cuidarei de juntar minhas partes novamente

Sem você esse trajeto será liberdade e solidão

E é tão bom acelerar o meu carro

Mas ao olhar pro lado, onde estará você?

Será que ainda lembra da minha voz?

Enquanto eu do outro lado do mundo lanço músicas inéditas que falam exatamente de ti

Parece que foi ontem que eu te conheci

E agora o tempo me faz uma coisa dessas

Foi quando decidimos começar a despedida

Seu corpo ainda colado no meu

A gente em êxtase, com medo da separação, salutar no contato físico

E a dança começando

Aqui no alto da cidade

As mãos vão soltando umas às outras

E nossos joelhos nos impulsionando para cima

Como dois homens dançantes

Lá de baixo a cidade deve ver a gente voando

Somos pontos de luz que caem e voam

Lá de baixo, anjos caídos

Daqui de cima, desespero alucinante

Adeus, meu amor

Não pensei que fosse tão breve a nossa separação

Mas… adeus

Já não temos mais tantas palavras para dizer

O universo agora nos oferece uma dança individual

Bem distante ainda te vejo exalando coisas

Sem cessar o movimento

Mas preciso olhar para onde estou

Não conheço esse lugar

Quando noto sou apenas eu, solo, vagando por lugares que eu nunca vi

Existem perigos me rondando

E eu desabo e choro

Pela primeira vez em muitos anos, choro muito

Onde estará o meu amor?

A gente que sempre se protegeu agora sobrevive distante, em meio ao caos

Monstros tentaram me atormentar na minha queda mas eu olhei no fundo dos seus olhos e rugi violentamente

Saia do meu caminho!!!

A minha energia atravessou aqueles seres malignos

Talvez eu me perca por muitos anos de agora em diante

Sou um animal selvagem se definhando

O dono da floresta que não suporta uma dor de amor

E você também se perdeu no meio daquela dança

Quando eu parei um pouco, não te vi ao longe

Resolvi não refazer a trilha até o meu carro

Deixei ele lá, para sempre

Fechado

Ah que saudades de acelerar nas estradas

Ou de te abraçar quando você queria dormir

Continuarei voando, cidadãos aí de baixo

Não desabarei mais no solo, pois é assim que querem me consumir

Porém entendam, eu sou o próprio consumo e nunca o inverso

Voando para sempre

Em sentido contrário ao voo do meu antigo amor

Voando bem alto

Fugindo de monstros

Dançando nos céus.

Igor Florim