Acho que o mundo parou

Quem sabe agora recomecem

O sol de hoje queima a minha pele

E eu respirando na pedra da praia

Ah que saudades desse lugar

Hoje vou rever uma forte pessoa

O longo inverno já passou

Agora o sol me derrete

É até você que eu vou. Está em casa? Pois acredite, estou chegando

As pessoas estão de cara fechada pelas ruas

Não aguentam o governador do estado

Ah, a corrupção tenta matar o Brasil todos os dias

Enquanto o nosso presidente promove o brazil

Brasileiro nenhum foi pra lá

Dizem que lá, no brazil, vivem os brazileiros

Nunca vimos nenhum para contar história

Acho que os seguidores do presidente são fantasmas

Um bando de robôs com contas no twitter

Preciso renascer também

Me reinventar

Afinal, eu amo o Brasileiro que eu sou

Cheguei, meu amor

E ele ainda caminhando no corredor, vindo abrir o portão de grade

Esse sorriso não mudou em nada

Eu te amo tanto, você sabe não é?

Antes mesmo que você abra esse portão e eu te beije com toda a minha energia, que fique bem claro esse tipo de afirmação

Subimos para o apartamento

Grudados um no outro

Estamos vivos

A terceira guerra mundial foi uma loucura

Esse vírus afetou quase todo mundo

Sorte dos 0,1% dos brasileiros que não sentiram as explosões

Mas nas favelas, a guerra às drogas diariamente mata inocentes até hoje

Queria um copo d’água

O sol dessa cidade não é para qualquer um

A polícia militar brasileira é a que mais mata e mais morre no mundo todo

Eu escrevi uma música pra você

Escrevi agora pouco na pedra da praia

Mas não tenha pressa para me ouvir

Deixa eu te fazer carinho pra que você durma

E a gente voe juntos num sonho estelar

Quero todo o seu corpo assim em mim

Um dia fizemos tanto amor que ficamos os dois caídos no chão por alguns minutos

A televisão berrava comerciais de lojas fracas

Enquanto no meu peito toda a minha vida batia de dentro pra fora

Era um som que exalava a minha alma

E eu caído

O animal que eu sou

Essa ritualística toda

Juro que você escutará a música que eu escrevi para ti

Mas espere ela te procurar

Muita gente vai cantar o nosso som

E nós caídos no tapete

No ar um mundo de mandalas da nossa natureza

Do ser que somos

O suor da casa

Acho que não sairei daqui tão cedo

O tempo nunca foi linear

E nós perdidos nisso tudo.

Igor Florim