Hoje eu chegarei atrasado mas vim correndo para ter certeza do estrago que aconteceu entre nós

Amanhã é o meu aniversário

Não sei mais o que esperar dessas datas

Meu erro foi ser sincero demais contigo

É que eu consigo ver o futuro, então é frustrante demais tentar explica-lo pra alguém

E estragar toda a possível linha do tempo que ocorreria

O futuro não é brincadeira

E assim estragamos tudo entre nós

Como você consegue pedir para que eu te espere?

Como você consegue viver assim tão leve e ainda não está desperto?

Essa lua cheia é a mesmo que eu via na minha rua

É estranho pensar que irei recomeçar. Que a contagem do meu tempo vivo só aumenta

E tudo caminhando para o dia final em que tudo acaba

Há muito tempo ninguém pergunta verdadeiramente se eu estou bem

Culpa minha

Nunca mais deixei ninguém ficar tão próximo de mim para isso

E ninguém notou

Ninguém notou a minha solidão

Mas foi assim que eu me encontrei

Hoje eu mesmo pergunto pra mim, com muito carinho – você está bem cara?

E a resposta é um suspiro

Eu estou bem

Há um táxi me esperando

Deixarei tudo para trás na viagem lunar que me espera

E nunca mais criarei culpas na minha mente

Estão acelerando como se houvesse uma estação lunar para nos abrigar

Mas não há morada

Aqui é o vácuo do espaço e nossa eterna observação especial

Todos em silêncio

Solitários

Deixamos tudo para trás

Quem foram os primeiros homens do século XXI há morar nos céus?

Daqui do alto noto anjos caindo para a terra

Humilhados com seus mundos dominados pelos homens das estrelas

Meu bem, eu cansei

Usei tantas palavras para sinceramente Hablar contigo porém a sua educação não nos basta mais

Perdemos o nosso romance

Adiamos qualquer chance

E não irei mais dizer que a culpa foi minha pois não foi

Seremos eternamente essa vaga lembrança no tempo

Eu não lembro da sua voz. Acho que tu nunca gravou um áudio para mim

Houve um tempo em que eu vinha escrever coisas de ti

De tudo que eu notava e mais ninguém conseguia ver

Hoje em dia eu só lamento pelo meu atraso

Agora que cheguei a tempo para o meu aniversário

Você não se foi, pois nunca esteve aqui comigo

E nunca te cobrei coisa alguma e nem pedi que fosse meu amigo

Estou na janela do táxi

Olhando para a rua espacial

Admirando o sistema estelar do cocheiro

Estou perdido mas solo e é tão bom seguir assim

Concretizar com respeito ao ser que eu sou, a solidão que venho plantando

Foi assim que eu aprendi a me amar

Esse táxi nunca vai parar

Iremos até o fim

Desejo boa sorte aos amores que nunca aconteceram

Vocês ficaram para trás

Foi assim que eu sobrevivi. Solo. Num táxi lunar sem volta.

Igor Florim