Estou indo passear… talvez eu retorne só a noite, não me esperem

E um vazio me assola

Abri a porta e fui sorrindo para a praia, o céu nublado de tanta emoção mas o clima quente, calmo, morno

Interiormente passei por um sufoco mas ninguém viu

Eu respirando profundo para seguir a minha vida e ninguém viu

Acabo de sentar na areia da praia. Olhei pra cima, talvez de lá alguém me olhe

E a resposta interna é que todos estão comigo, sem me abandonar por um só domingo

Me senti abraçado aqui nessa areia da praia, como se o mundo fosse o meu amigo

Essa areia e essas ondas

Nunca duvidei das minhas forças

Como se a vida fosse mudar, alguém chegando em um cavalo colorido

E eu olhando pros lados mas não vendo mais aquele meu amigo

O que me chamou de clássico sumido

Venho sumindo de tantos antigos amigos

Mas nunca de ti

Você foi quem lembrou de mim

Essas últimas noites eu tenho passeado tanto

Saio andando para frente, sem nenhum parente por perto, apenas o meu deslocamento

Notando essas casas todas, os restaurantes pelo caminho

Meu amor, eu fiquei muito sozinho esse ano

O tempo passou me cortando, arranhando o meu peito, foi tempo demais desse jeito

E até isso passou. Todo um tempo da minha vida passou

Parei de olhar pro céu, levantei na areia e sai andando

É na beira que o mar me toca

E eu cantando a minha música, criando uma nova rima

Não espero nada demais da noite de hoje

É só gratidão por estar vivo, por caminhar tranquilo e aceitar os meus dias e noites

Sábado a noite é um luxo para poucos

E o meu é um filme comigo. Um momento entre a minha paz e um antigo abismo que habito

Mas eu não salto mais pra lá

Eu nunca quis me afogar

E a maré me chamando pra mergulhar no mar, cantar ao luar

Vou voltar para o hotel. Fumar o meu último cigarro de artista e pensar em coisas boas

Recarregar as energias

Eu quero ser uma bela vida!!! Vivaz por natureza e mesmo que tu não seja, eu não te convido para se afogar

Hoje mesmo a minha vontade era amar o seu ser

Derramar minha força em você

Quem sabe assistir algo juntos na TV e rir dessa vida como se fosse a última rima criada

Mas meu bem, estamos apenas começando a nossa jornada

Porém disso tudo ninguém nada ouviu

Segui cantando pela rua, tragando o que eu fumo, libertando de mim outros assuntos

Quem sabe dormirei mais leve do que antes

Tu não me deu uma única chance

Repetidas vezes não me deu uma chance

E não sei lidar com rejeições mas contigo estou lidando com isso por várias vezes seguidas

Porém isso não me agride

Só me inibe

E toda aquela vida, do primeiro convite, da flor na minha mão para te presentear com algum carinho cheiroso

Talvez fique para trás

Irei em frente até não conseguir mais tentar

Sigo andando nessa rua

Acho que começo a me rastejar agora

Arrastando novamente o ser que eu sou

Não posso morrer aqui sozinho, preciso do meu abrigo

Me arrastando sem parar

Talvez faltem forças para chegar lá

Que pena que não vivemos muito, meu bem

O tempo também nos mata

E nada de novo aconteceu. Sigo solo, morrendo nesse trajeto milenar, nessa rua tão deserta

Sendo esse cara

Tão sozinho

E me tratando com carinho, eu sou o meu amigo

Repetindo isso tudo na minha mente sem parar

Quem sabe um dia eu realmente acredite nisso

E sobre hoje, eu já não sei onde irei chegar

Pensei que teria ao menos uma bela noite de sono, depois dessas reflexões todas no mar mas talvez eu não consiga mais

Mas sigo tentando

Eu não vou me abandonar.

Igor Florim